top of page

BLOG

Blog do Bem 

TEMPOS MODERNOS






Domingo, Maio de 2020, 33ª graus, Rio de Janeiro, praia fazia! Estranhou, né? Com certeza neste horário ela estaria lotada de pessoas.


Começamos o nosso texto semanal analisando a imagem e sua moderna estranheza. O que não é estranho hoje? Tudo mudou, até a natureza!. Nossos pais e avós, amigos, conhecidos, crushs, tão perto e tão longe.... Estamos separados por um inimigo invisível, o número um do mundo a covid-19 !

O que aconteceu com o nosso tempo moderno, focadíssimo na liberdade de expressão, sexual, liberdade para ser o que se é? Para tudo! Outros focos se fazem necessários, a saúde, a fé, a luta contra o medo do desconhecido, a solidariedade.

Estávamos conectados com um monte de coisa inútil, afastados de uma palavra que realmente importava e que nos foi ensinado pelo maior mestre que a terra já conheceu “ Jesus” o “AMOR” (do latim, amore) definido como uma emoção ou sentimento que leva uma pessoa a desejar o bem a outra pessoa ou a uma coisa. Então, onde estava o amor tão natural daqueles tempos de antes? Como resgatar hoje o amor, a fé, a fraternidade? É uma reflexão que se coloca na urgência de nossos pensamentos.

Não está sendo fácil viver hoje, estamos tomados pelo horror de um virus. Sim, mas isso não pode ficar só na reflexão, temos que agir. Temos que questionar a vida: o que fiz de mim? O que fiz para meu próximo? O que fiz, enfim?

Coisas simples (e valiosas): dar amor, abraçar, olhar nos olhos, escutar a mãe, o pai, a vovó, o filho, o amigo, falar palavras de amor, reciclar o plástico, economizar, não jogar papel no chão, separar o seu óleo de cozinha usado em uma garrafinha e descartá-la em um lugar que não seja seu ralo, protegendo os rios, mares e oceanos. Tudo isso estava meio de lado, era chato.

Assim como as pessoas, as empresas também estão tendo que se reinventar, vamos viver ainda o APP ( ano pós-pandemia) e isso mais assusta que conforta, mas o momento de reflexão é agora. É tempo de preparar, de criar, de se libertar das coisas e pessoas que nos faziam mal e que estávamos apenas suportando.

Um pensamento que nos rodeia: só aprendemos ou evoluímos no sofrimento. Mas será que não podemos fazer diferente? Não esperemos que chegue outra pandemia para que tenhamos que acordar novamente. Jesus nos livre!

Finalizamos nosso texto de reflexão semanal com muitos assuntos propícios a meditação. Vamos deixar um mundo um pouco melhor para as gerações futuras, para que elas possam mirar no nosso exemplo, façamos de outro jeito, revolucionemos!

(Texto Joao do Bem)

7 visualizações0 comentário

Fé , Esperança e amor









Estas três palavras andavam um pouca perdidas entre nós. O presente já não era mais vivido, entrava em ação a palavra futuro, não que o planejamento de um futuro melhor fosse algo fora do contexto ou uma coisa de outro mundo, posto que faz parte de nosso cotidiano , mas de forma demasiada e descontrolada, viver de futuro atrapalha e atropela nosso presente.

O futuro empurra a palavra amor para o lado , e coloca em cena o desejo,  o  planejamento para  adquirir coisas, uma casa , um cargo melhor na empresa que você trabalha , um carro, fazer as melhores viagem, comprar a roupa da moda. Realmente tudo isso é algo tentador, a natureza humana  te conduz àquele lugar  de não valorizar o que já foi conquistado.

A ansiedade para conquistar coisas deixava em segundo plano o que realmente tem valor na família, assim, filhos e pais eram comprados com presentes como compensação pela ausência , a culpa  se instalava em meio ao caos trazido pela completa incerteza do  futuro. Numa corrida desenfreada pelas conquistas materiais ou pessoais , deixamos as bases estruturais de nossa vida soltas, e quando percebíamos já era tarde e nos deparávamos com filhos envolvidos nas drogas , matrimônios destruídos, pais esquecidos ou relegados aos cuidados integrais de terceiros.

A fé, já abalada pelas circunstâncias em que nos encontrávamos, não permitia que a esperança já não ecoava em nosso pensamentos , abrindo uma lacuna imensurável em nosso coração  para a entrada do mal.

As doenças da alma deste século então apareceram e se instalaram, mexendo nos porões  do nosso  subconsciente, trazendo à tona nossa fragilidade.

O futuro já não se faz tão importante, mesmo porque não podemos nem fazer planos concretos, não sabemos que caminhos o mundo tomará após estes tempos que estamos vivendo. Assim, toma o seu lugar o presente e as coisas que realmente importam: o amor e o cuidado consigo e com o próximo. Neste momento, as palavras “ FÉ , AMOR E ESPERANÇA  começam a tomar forma consistentemente e o futuro  respira com menos pulsação.

O que importa realmente para você hoje, agora, o seu presente ou o seu futuro? 

( Texto João do bem )

11 visualizações0 comentário


A FOME NÃO TEM CARA , NÃO TEM MEDO.




Precisamos refletir a atuação dos inúmeros grupos sociais que vêm, na medida do possível, alimentando os moradores em situação de rua que passam fome pelas ruas do nosso Rio de Janeiro. A situação é de uma realidade atroz. A FOME NÃO TEM CARA E NÃO TEM MEDO. A sociedade já vive à beira da histeria coletiva e hoje nós já sentimos o medo de ir na esquina de nossa rua. Imagine se ninguém os alimentasse ou levasse um pouco de AMOR, de interesse pelo ser humano. O caos já estava próximo da gente, a violência, a fome, a dor, a marginalização, nesta pandemia não podemos não refletir sobre essas pessoas que vivem tão perto da gente e o que podemos Fazer para minimizar o caos que nos espreita. Seguimos nossa missão com resiliência e com as bençãos de Jesus Cristo , alimentando os invisíveis da sociedade e tentando nos proteger ao máximo possível, porque os nossos governantes não governam nessas camadas.

Pensem, parem e reflitam , em vez de criticar, se junte ao nosso exército do bem. Criticar é mais fácil que agir. Doar seu tempo para o próximo não é uma tarefa simples nem fácil, mas recompensadora. Precisamos da mobilização de todos.

(Texto João do bem )

11 visualizações0 comentário
1
2
bottom of page